Empreender é monetizar a resolução de problemas. Assim, empreendedores precisam ter uma relação muito initma com "problemas". Perseguir problemas bons e evitar problemas ruins, por exemplo, é uma habilidade super desejável.

Aprendi há oito anos o conceito de "comprar problemas". Na época, não imaginei que fosse tão funcional. A melhor forma de explicá-lo é compartilhando uma história sobre um jovem candidato a empreendedor, que falhou antes mesmo de começar.

A ideia era abrir uma carroça de hot dog. Algo diferente, descolado, gourmet, mas que continuava sendo uma carroça de hot dog na concepção do projeto. Esta ideia virou um business plan.

No "plan", o empreendedor percebeu que ele não gostaria de limitar o tamanho do seu (futuro) negócio a apenas uma unidade móvel. Planejou então o direcionamento do lucro da unidade 01 para aquisição de outras duas carroças. Neste ritmo, ainda de acordo com seu plan, ao final do primeiro ano a empresa contaria com seis unidades móveis.

Se antecipando a uma natural concorrência que persegue negócios de sucesso, o plan considerava a abertura de uma loja-modelo em um Shopping local, buscando defender o conceito da marca e fortalecer o branding da empresa.
Nesta etapa, ainda antes do final do segundo ano de atuação, seria extremamente adequado concentrar a produção dos principais insumos em uma central de porcionamento e produção. Não seria inteligente correr o risco de ter porções de sabor e quantidades diferentes, em unidades da mesma empresa.

Você já sabe onde estamos chegando?

De acordo com o business plan, este será o momento ideal para contratar um projeto de franqueabilidade da marca, um dos quatro canais mapeados para viabilizar o plano de expansão da empresa.

Resumo da Ópera: O projeto que custaria R$ 7.500,00 (uma boa carroça, giro dos primeiros insumos e um avental), passou a custar R$ 250.000,00.

A empresa nunca existiu.


Recife, Dezembro de 2018.


Nesta foto, celebramos um resultado impressionante em vendas no fechamento do período de inscrições do Programa Oratória Persuasiva© digital. Não esperávamos, mas vendemos para quase todo o Brasil – foi necessário improvisar uma comemoração a acabamos brindando com vinho tinto em taças e copos de café. Foi foda.

Pergunta de 1MM de Dólares: Eu poderia ter imaginado, em minhas melhores projeções, que um dia a Empreender Dinheiro venderia um treinamento sobre Oratória & Persuasão?

Nunca.

Na primeiríssima vez que o nome Empreender Dinheiro surgiu em minha cabeça, não era uma escola – era um blog. Pelo que lembro, nem conta no Instagram eu tinha. 


Jobs demorou décadas pra sequer pensar no principal produto de toda a história da Apple, o iphone. Entender que efeitos colaterais podem ser positivos é a base do entendimento do conceito de "comprar problemas".

Como costumo falar quando a pauta é planejamento financeiro: "a única certeza que temos ao fazer uma projeção é que vamos errar". Isto não nos isenta da responsabilidade de planejar, mas é sempre válido lembrar que o futuro é impenetrável e que nem tudo sairá como planejado.

Não é recomendável agir sem pensar, claro. Contudo, compromissos e datas são dois agentes motivacionais que nos conduzem a fazer o que precisa ser feito.


Em várias situações, comprar a porra da carroça é a única coisa que tiraria o candidato a empreendedor da posição de candidato.

Não existe ciência exata para determinar quando devemos planejar em excesso e quando devemos agir em excesso. Todavia, tenho convicção que as vezes, é essencial ‘comprar problemas’.


Um pessoa em nosso time estava pensando em estudar para certificações há pelo menos 18 meses. Em reunião de feedback na semana passada falamos da importância disso.

Ontem ela se inscreveu em uma prova que vai acontecer em Agosto deste ano. Nem tem ideia da quantidade de tempo que será necessário dedicar para os estudos, mas, comprou o problema. Ela talvez não saiba, mas as chances de realmente estudar (e consequentemente passar no exame), finalmente são reais. Golaço. 

 


Sabe aquela ideia que você estava pensando em tirar do papel?

Pau na máquina – compra a porra do problema!

As consequências são, na maioria das vezes, impressionantemente positivas.

Sigo na torcida pelo seu sucesso.

Forte abraço,
Arthur Lemos

__________

Você quer receber a Carta do Fundador Diretamente em seu e-mail?

Clique AQUI e inscreva-se!