Inseguro quanto ao que fazer, não tente. Suas dúvidas e hesitações contaminarão os seus atos. A timidez é perigosa: melhor agir com coragem. Qualquer erro cometido com ousadia é facilmente corrigido com mais ousadia. Todos admiram o corajoso; poucos louvam o tímido.

Primeira lição – seja ousado(a).

Ousadia é um dos valores da Empreender Dinheiro. Este é talvez um dos valores que nem precisaria ser comunicado em uma apresentação institucional para novos entrantes. Em poucos dias já se percebe esta nossa característica.

Do meu ponto de vista, ousadia não é antônimo de timidez, como proposto pelo autor de 48 Leis do Poder. Pessoas tímidas podem sim ter atitudes ousadas.

Afinal de contas, em geral somos todos tímidos – queremos evitar tensões e agradar a todos. Ou seja, imaginar atitudes corajosas nos assusta, pela simples possibilidade de não agradar a maioria. Nos assustamos com as possíveis consequências.

Ilusão.

A preocupação com os outros e com suas opiniões é na verdade, uma preocupação com nós mesmos. Nos preocupamos com o julgamento alheio sobre nossas atitudes e nossa imagem.

Por isso, a coragem é premiada. Admiramos os corajosos e preferimos ficar por perto de pessoas assim, pois sua autoconfiança contagia.

A questão é que, com ousadia vem o julgamento. 
Com julgamento, conflitos. 
A maioria de nós evita conflitos.

Sobre evitar os conflitos, uma prova de que não se trata dos outros mas sim da opinião dos outros sobre nós, é que adoramos conflitos quando estes não nos envolvem.

Gostamos de ver e acompanhar. Principalmente - ao primeiro sinal de discórdia formamos nossa opinião e tomamos partido por um dos lados.

Um erro clássico.

Primeiro, um erro pois nós adultos sabemos que as histórias por trás dos conflitos tem sempre três versões: a versão de um lado, do outro e a correta (normalmente entre os extremos). Mas, mesmo assim insistimos em escutar apenas um lado da história e já nos apressamos a tomar um partido.

Como diria a vigésima lei do poder:
 

Tolo é quem se apressa a tomar um partido. Não se comprometa com partidos ou causas, só com você mesmo.


Mais uma lição na Carta de hoje – ao sinal de conflitos, não se comprometa.

Quando você se apressa a tomar um partido, o lado apoiado ganha. 
Você, muito pouco.

Pense nisso.

Estou ansioso por compartilhar a Carta de amanhã. 
Espero que você goste do último texto da série Leis do Poder.


Sigo torcendo pelo seu sucesso. 
Forte abraço,

Arthur Lemos.

__________

Você quer receber a Carta do Fundador diretamente em seu e-mail?

Clique AQUI e inscreva-se!