Quando escrevi a primeira Carta desta semana, a que escrevo agora era a única já definida. Embora ainda não escrita, eu sabia exatamente o que seria compartilhado hoje (aqui, um rápido adendo para mais uma lição do poder – planeje até o fim). 

Por isso, espero que a lição desta carta seja valiosa, até porque o nível de sinceridade será extremo. 

Veja, por maior que seja a minha gratidão em ter você aqui como leitor(a), eu não sei se iremos nos encontrar no futuro próximo em lados opostos de uma mesa de negociação. Caso aconteça, inclusive, será uma honra para mim. 

Assim, quero presenteá-lo(a) com aquela que talvez seja a principal lição desta semana. 

Antes, uma verdade. 

As lições até aqui compartilhadas nesta série, Leis do Poder, não são as minhas prediletas. São lições extremamente relevantes, porém não representam as mais impactantes pra mim. 

Por que as compartilhei então? 

Primeiro, como já falei, dominar as diretrizes do poder que envolvem atributos como Compromisso, Ousadia, ConquistasAtitude & Reputação é indiscutivelmente poderoso. Ou seja, são Leis notavelmente relevantes. 

Contudo, o ensinamento de hoje talvez não ficasse tão claro se eu não tivesse (propositalmente) desviado a sua atenção. 

Mais um trecho da obra 48 Leis do Poder:
 

Mantenha as pessoas na dúvida e no escuro, jamais revelando o propósito dos seus atos, ou eventualmente deixando dúvidas a respeito deles. Não sabendo o que você pretende, não podem preparar uma defesa. Leve-as pelo caminho errado até bem longe, envolva-as em fumaça e, quando elas perceberem as suas intenções, será tarde demais.


As palavras são fortes, mas com adaptações inteligentes estamos diante de uma grande lição.

A maioria das pessoas é um livro aberto. 

Dizem o que sentem, emitem opiniões sobre tudo e com facilidade, revelam seus planos. 

Concordo que é tentador falar dos próprios sentimentos, opiniões e dos próprios objetivos. Gostamos de atenção. 

Além disso, existe a crença de que falando abertamente sobre os nossos sentimentos, iremos conquistar mais pessoas. 

Um cuidado para manter em vista: sendo demasiadamente franco, você se torna muito previsível. 

Um erro. 

Alta previsibilidade, no jogo do poder, normalmente não inspira respeito. 
Lição de hoje: preserve suas verdadeiras intenções

"Ao ocultar suas intenções, um estrategista pode manobrar sem ser visto, enquanto todos os olhos estão treinados para ver familiaridades óbvias" (a Arte da Guerra). 

Por isso a importância de não se tornar previsível. 

É fundamental registrar: requer inteligência e maturidade para não confundir esta estratégia com ‘não atuar eticamente’. São coisas diferentes. 

Inclusive, levada ao extremo esta estratégia pode intimidar, causando assim o efeito contrário. 

Não faça isso. 
Seja ético. 
Oculte as suas intenções.

Espero que você tenha aproveitado esta série. 
Quero que saiba que continuo torcendo pelo seu sucesso. Muito. 

Vamos juntos. 

Abraços,
Arthur Lemos.

____________

Você quer receber a Carta do Fundador diretamente em seu e-mail?

Clique AQUI e inscreva-se!