O termo "economizar" é tão bem visto e politicamente correto, que qualquer um tem prazer em anunciar aos quatro cantos o quão bom é em economizar.

Você certamente conhece alguém que tem prazer em comentar sobre uma compra sensacional que fez, pagando menos por uma coisa que parece valer mais. Portais e blogs como o conceituado Garotas Estúpidas e tantos outros nasceram justamente desse desejo de fazer mais, com menos.

Podemos então afirmar que buscar descontos é uma atitude financeiramente responsável já que nos faz economizar, correto?

Ledo engano. 
Eis mais um mito das finanças pessoais.


Outubro de 2013
Formação de Professores do Ensino Fundamental, Colégio Mater Christi, Recife.

Estava prestes a ministrar meu primeiro treinamento remunerado sobre Educação Financeira. Minha sócia na época não sabia, mas a ressaca era enorme. Havia dormido poucas horas, mas ainda assim, arrebentei – parte dos professores choraram ao final da palestra. Talvez, sorte de principiante.

Lembro que um dos conteúdos desta palestra, por mais simples que pudesse ser, provocou um debate caloroso.

Economizar não traz tranquilidade financeira.

Parece um contrassenso, mas não é. Na verdade, muitas economias nos levam ao endividamento.


Veja, economizar significa utilizar seus recursos (neste caso, financeiros) com maior eficiência. No dia a dia, significa adquirir bens ou serviços, individual ou coletivamente, por valor inferior ao valor comum de mercado.

Para ter êxito ao economizar, inúmeras estratégias podem funcionar. É muito simples, e você já faz isso todos os dias.

Ao comprar um determinado produto em quantidade maior a ponto de reduzir o valor unitário por produto, você conquistou uma economia. Ao comprar um produto à vista, em dinheiro e com desconto, você conquistou uma economia. Ao participar de um clube fidelidade e ter acesso a preços inferiores aos preços de mercado, você conquistou mais uma economia.

Enfim, os exemplos são vários. A sabedoria popular é afiada e criativa quando o assunto é economizar. Porém, o que muitas vezes não se percebe, é que economizar (isoladamente) não traz conforto financeiro.

Eu conheço, assim como você conhece, várias pessoas que sabem economizar dinheiro como ninguém, mas que vivem apertadas.

Vamos a um exemplo.

Imagine que você definiu em seu orçamento que precisa comprar uma camisa, que custa R$ 120,00 em uma determinada loja de sua preferência. Você pesquisou e viu, antecipadamente, que o preço de mercado da camisa, era de R$ 120,00. Assim, separou R$ 120,00 para adquirir a camisa no início do próximo mês – tudo conforme manda o figurino (coisa que na prática, pouco acontece).

Início do próximo mês você vai até a loja escolhida para comprar sua camisa. Sendo que, ao chegar lá, se depara com um fato não previsto. Uma surpresa.

Aniversário da loja e justamente a camisa escolhida está com desconto de 50%, somente naquela data! Maravilha, quer dizer que a mesma camisa pode agora ser comprada por metade do valor.

Pense comigo, o que é que você faz nesta hora? 
Aproveita a promoção e gasta apenas metade do previsto?

Como um bom brasileiro, você provavelmente aproveitaria a oportunidade e compraria duas camisas.

Pergunta de 1MM de dólares - ao comprar duas camisas por R$ 120,00, você economizou dinheiro? Sim ou Não?

Lógico que sim.

Muitos ficam confusos neste momento, mas, reflita comigo.

O valor de mercado da camisa que você desejava era de R$ 120,00. A camisa vale R$ 120,00. Mas você conseguiu comprar duas camisas, com os mesmos R$ 120,00 que havia separado para comprar apenas uma.

Em uma ocasião normal, para levar as duas camisas você precisaria desembolsar R$ 240,00, mas desta vez, não.

Ou seja, você economizou dinheiro sim.

Porém, acabou de perder uma excelente oportunidade de poupar dinheiro. 
É justamente aqui que nós pecamos.

Nós somos craques em economizar dinheiro, mas péssimos em poupá-lo. Na verdade, por mais vantajoso que seja economizar dinheiro, de nada adianta se você sempre utilizar suas economias em um sistema de recompensas, gastando com outras mercadorias e/ou outros serviços.

Reflita comigo: para o "seu bolso", não importa se você gasta R$ 120,00 com duas camisas, ou com uma camisa e algum outro item. Para seu bolso, foram embora R$ 120,00, independentemente do que esses R$ 120,00 compraram.

Logo, para ter mais tranquilidade financeira não adianta apenas economizar dinheiro. O que realmente importa é a sua capacidade de poupar parte do que você ganha.

Você pode gastar três vezes mais do que ganha, mesmo economizando em tudo que gasta. É cada vez mais comum encontrar blogs de moda, sites de compras coletivas, dentre outros, que promovem para seus usuários e seguidores ótimas oportunidades de economia.

No entanto, você precisa fazer um julgamento sincero se você realmente precisa daquilo, independentemente da promoção.

Aproveitar grandes descontos pode ser um grande negócio se você precisa do bem/serviço. Senão, passa a ser mau negócio, apesar do desconto.

Sempre que você consome algo que não precisa, você perde a oportunidade de poupar e posteriormente investir dinheiro. Dinheiro investido é dinheiro que trabalha para nos enriquecer, para que conquistemos nossos sonhos com maior celeridade. Desperdiçar este dinheiro é significativamente mais impactante que "desperdiçar" uma promoção, acredite em mim.


Economizar, é fácil. 
Poupar, exige propósitos claros e definidos.

Desejo que você conquiste grandes economias, mas reforço meu desejo com a esperança que ao menos parte destas, sejam transformadas em poupança.

Afinal de contas, com raras exceções, só investe quem poupa.


Continuo na torcida pelo seu sucesso.
Conte comigo,
Arthur Lemos

__________

Você quer receber a Carta do Fundador Diretamente em seu e-mail?

Clique AQUI e inscreva-se!