A lagosta é uma animal mole, que vive dentro de uma concha rígida.

Essa casca grossa não se expande.

 

Bem, como a Lagosta pode crescer?

 

À medida que ela cresce, essa concha fica muito apertada. A lagosta se sente sob pressão.

É desconfortável.

 

Ela então vai para debaixo das pedras para se proteger dos peixes predadores, se liberta da casca e produz uma nova.

 

E eventualmente, quando ela crescer novamente, a nova casca ficará apertada.

Chega o momento da Lagosta voltar para debaixo das pedras…

 

Este processo é repetido várias vezes.

 

Aqui temos uma lição: o estímulo para que a Lagosta possa crescer é que ela se sente desconfortável.

 

Se as Lagostas tivessem médicos, elas nunca cresceriam, porque, assim que o desconforto aparecesse, um remédio seria indicado para inibir aquela sensação.

 

Sem incômodo, ela nunca sairia da casca original.

 

----

 

Retirei as palavras de um conto que recebi há muito tempo. Já me foi extremamente útil, por isso imaginei que poderia servir para você também.

 

Duas lições a partir daqui para iniciarmos a semana com o pé direito:

 

A primeira lição é que temos que perceber que tempos de estresse também são momentos que sinalizam o crescimento.

 

Se usarmos a adversidade corretamente, podemos crescer através dela.

 

A segunda é aquela que faz alguns de nós despontar.

Apenas alguns.

 

Eventualmente, nós mesmos podemos provocar o desconforto.

 

Imagine a Lagosta que ainda tem espaço para crescer, mas aproveita a passagem por uma pedra adequada para trocar de casca. Um adianto.

 

Dia desses escutei de um empresário: “Estou profundamente incomodado porque minha renda anual ainda não é de cem mil reais”.

 

Veja, cem mil apropriado em doze meses é equivalente a pouco mais de oito mil reais mensais. A maioria das pessoas que você conhece, talvez não tenham esta renda líquida mensal. Na média, não haveria motivos para este empresário estar desconfortável.

 

No entanto, ele mesmo está provocando este desconforto.

Um comportamento fora da curva.

 

Nas mesmas circunstâncias, muitos não estariam incomodados.

Inclusive, sei que alguns criticam a postura.

 

Atenção - não confunda esta reflexão com falta de gratidão pelo status quo. Precisamos ser gratos sim, mas, ao mesmo tempo, sempre dispostos a trocar de casca.

 

Nenhuma competição é tão poderosa quanto a sua consciência.

Use-a ao seu favor.

 

Estou torcendo pelo seu sucesso.

Conte comigo.

 

Abraços,

Arthur Lemos.

________________

Você quer receber a Carta do Fundador diretamente em seu e-mail?

Clique AQUI e inscreva-se!