Ontem tivemos mais uma edição do Happy Hour ED.

Uma coisa me chamou a atenção: o Happy Hour é um talk. Dura três horas e é uma enorme loteria – nunca sabemos ao certo o que será discutido e quais serão as lições aprendidas a partir dos painéis.

Acredite se quiser, ainda assim, recebemos participantes do Rio de Janeiro, Fortaleza, Natal, Salvador e Maceió. Impressionante.

Há algo diferente neste formato, então.
Existe algo especial em nossos eventos.

Esta inclusive foi uma das lições mais presentes nas histórias dos vários empreendedores(as) que cruzei nestes últimos meses.

Mais uma vez, como diria o Robert Kiyosaki "ninguém precisa de uma nova cafeteria quando temos a Starbucks". Se você quer abrir um novo café, você deveria considerar algum elemento de diferenciação.

Isto serve para empresas, assim como serve para carreiras.

Mais um talk igual a tantos que existem, não seria o suficiente para fazer as pessoas se deslocarem para outro estado em plena quinta-feira.

Primeira lição – faça diferente.

--

Ontem recebi a Paula Meira, o Guto Galamba e o João Paulo Gomes.
Três cases fantásticos!

A Paula é sócia fundadora de uma empresa que hoje tem mais de 1.500 funcionários e é referência em seu setor, mas que para chegar neste ponto precisou carregar o negócio no vermelho por quase 12 anos!

O Guto rompeu os padrões do que era sucesso para ele enquanto educador físico, faturou milhões através da internet.

Já o João, é um personagem raro que consegue conciliar a vida de um executivo de uma instituição que é braço de uma multinacional enorme, com a vida de sócio atuante de uma agência de publicidade de sucesso que tem mais de dez anos de vida.

A estrutura do evento estava incrível e eu recebi muitas mensagens carinhosas de agradecimento por ter proporcionado, junto com o time da ED, aquela experiência para as pessoas.

Porém, mesmo com tantas mensagens e mesmo com super convidados, algo me incomodou.

A experiência para a audiência ainda não foi a melhor que podemos entregar.
Faltam ajustes no formato.

Quando comentei isso com algumas pessoas após o evento, escutei "calma Arthur, foi muito bom velho... Não seja tão duro".

Não tenho dúvidas que foi uma experiência positiva.
A questão é que pode ser melhor.

Este inconformismo incomoda, mas tem um lado positivo.

"A única coisa estável no mundo atual, é a mudança", disse João Paulo.
Mexer em time que está ganhando é necessário, diferente do que acreditávamos até pouco tempo atrás.

Ou seja, até aquilo que você está acertando deve ser questionado. Esta que é outra grande lição.

Evidente que qualquer excesso deve ser evitado.
Faz bem celebrar as vitórias.

Mas, acredito que celebrações à parte, cabe ao empreendedor vestir os olhos do seu cliente mais crítico.

--

A próxima edição do Happy Hour será indiscutivelmente a mais poderosas de todas já feitas. O principal combustível desta certeza é, sem dúvidas, o inconformismo.

Há uma frase que li em um muro do Exército Brasileiro e que representa bem este conceito:

"Elogie seus amigos em público e critique-os em particular".

Usei esta citação inúmeras vezes internamente na Empreender Dinheiro. Isto serve para gestão de pessoas, mas serve também para "gestão de clientes".

Sobre minha opinião do evento de ontem:

Publicamente, o que achou Arthur? Fantástico.

Internamente, o que achou Arthur? Faremos muito melhor da próxima vez.

O melhor - ambos são verdade.
Foi sim fantástico e podemos sim fazer melhor.

Espero ter a honra de encontrar com você na próxima edição do Happy Hour para você me ajudar a validar se conseguimos alcançar este salto de qualidade.

Hoje me despeço com duas provocações.

Mude.
Faça diferente.


Conte comigo.
Sigo torcendo pelo seu sucesso.

Forte Abraço,
Arthur Lemos.

_________________

Você quer receber a Carta do Fundador diretamente em seu e-mail?

Clique AQUI e inscreva-se!