Sou fã da Educação que vem dos praticantes. 

Explico o porquê. 

O Erico Rocha (se não conhece vale colocar no google) tem meu total respeito. Conheço dezenas de especialistas em marketing digital que criticam as metodologias dele. Segundo estes, os métodos do Erico são “batidos”. Nenhum deles, porém, tem sequer metade dos resultados do Erico. Curioso. 

Sobre isto, o Érico faz uma analogia sensacional. 

Uma história sobre como fazer um bolo. 

Segundo ele, alguns quase alunos não se matriculam nos seus cursos porque através dos seus conteúdos gratuitos, chegam a conclusão que não precisam pagar para aprender – “observando já é possível replicar”. 

O mesmo acontece com um bolo. Ao ver um bolo pronto ou talvez até parte do processo, é possível chegarmos a conclusão que com determinados ingredientes, é fácil fazer um bolo. 

O problema é que alguns ingredientes são invisíveis aos olhos do leigo. 

No bolo, é o caso do fermento. 

Quem não é praticante não sabe que sem fermento o bolo não cresce. Consequência? Erra-se bastante até perceber a necessidade deste ingrediente. 

Vamos a um exemplo super simples e prático, retirado da própria Empreender Dinheiro. 

Se eu gravar um vídeo compartilhando nossas técnicas sobre como fazemos ligações de vendas, você vai se sentir capaz de replicar. Contudo, mesmo seguindo nosso script à risca, talvez não tenha os mesmos resultados. 

Pense comigo – em uma ligação telefônica não há contato visual. Assim, o que mais importa durante essas abordagens? 

O tom de voz

A entonação é determinante na construção da imagem que a outra parte tem sobre você. Chega a ser mais importante que o próprio script. 

Aprendemos recentemente que ligações de vendas precisam ser feitas em pé, de preferência em movimento. Ligamos para os clientes em prospecção andando no corredor. Literalmente. Nossa energia nestes contatos é enorme. 

Nossos resultados estão melhorando sensivelmente. 

O que isto significa? Puro fermento

Temos uma pergunta de 1MM de dólares – onde está escrito que precisamos usar fermento? 

Na prática. 

Por isso, duas lições para hoje:
 

  1. O preparador físico do Ayrton Senna, Nuno Cobra, dizia que uma única palavra é marca em qualquer campeão – fazer. Faça. Só se aprende assim;

 

  1. Esta que é o motivo de escrever a Carta de hoje – quando for estudar ou pesquisar, procure praticantes. 
     


Já falei aqui na Carta que aposto na excelência como uma junção entre prática e academia. 

Não entenda este texto como um convite para diminuir a importância acadêmica. Claro que não. 

Minha sugestão é que ao escolher suas referências, tenha certeza que parte delas está no campo de batalha. Isso muda tudo. 

Um pequeno empreendedor que construiu tudo do zero, às vezes, tem mais a contribuir para o seu desenvolvimento que um mega empreendedor que “encontrou tudo pronto”. 

Pense nisso. 

Desejo sucesso, assim como um bom final de semana. 

Seguimos juntos. 

Forte abraço,
Arthur Lemos.

________________

Você quer receber a Carta do Fundador diretamente em seu e-mail?

Clique AQUI e inscreva-se!