Quero compartilhar a resposta de uma das perguntas mais frequentes que recebi nos últimos dias:
 

“Arthur, como você faz pra encontrar conteúdo relevante para escrever a Carta todos os dias
De onde vem o conteúdo”? “De onde vêm as ideias”?


Entendo a curiosidade pois escrever a Carta é algo que requer mais energia e criatividade que publicar Stories no Instagram. Mas, este não é o motivo pelo qual vou compartilhar as minhas fontes de inspiração.

O motivo de escrever a Carta de hoje está relacionado a uma crença inabalável na afirmação do Sr. Gates. Acredito que compartilhar conteúdo pode ajudar você a aumentar as vendas do seu negócio (independentemente do setor), ou até mesmo ajudá-lo(a) a criar uma renda extra. Isto tudo, caso você queira aumentar sua renda, claro.

Sempre que você compartilha conhecimento ou ajuda alguém, você deposita uma semente de percepção de autoridade referente àquele assunto perante aquela pessoa ou aquele grupo de pessoas. Por isso, compartilhar conteúdo é tão relevante.

Existem vários gatilhos que nos faz acreditar no conteúdo alheio. Encontrar alguém similar a você (o que chamamos de rapport), alguém que foi recomendado por uma pessoa próxima, alguém bem vestido, alguém que aparece em um bonito cenário, ou até mesmo alguém com muitos seguidores... Enfim, são vários os atalhos mentais que nos levam a acreditar que o conteúdo de alguém deve ser bom.

No entanto, para nossa tristeza, temos muitos bons atores nas redes sociais.
Uma recomendação de outro leigo (mesmo que este seja um amigo próximo) em um determinado assunto não garante uma fonte de conteúdo de credibilidade, assim como um bonito cenário, boas roupas ou uma grande audiência.

Estes dias vi o Christian Barbosa fazer um comentário sensacional acerca de uma afirmação cada vez mais comum no ‘campo da produtividade’: “Comece o dia às 5am e isso mudará a sua vida”!

Sobre isso, rebateu o Christian: “Putz! Quanta gente falando essa bobagem! Meu médico, que estudou padrões genéticos por mais de uma década, tem calafrios só de escutar. Não há qualquer embasamento científico pra isso! Pura bobagem”.

Me identifiquei demais, pois os exemplos na indústria de instrução financeira são incontáveis.

A grande dificuldade é: como uma pessoa que é leiga em um determinado assunto consegue avaliar se você/seu conteúdo é bom ou ruim?
Isto vem com o tempo.

O resultado com conteúdo é lento, mas consistente. As vezes, seu conteúdo demora pra chegar nas pessoas certas. Faz parte do jogo.

Por isso, a forma que mais acredito funcionar para criar um bom relacionamento com sua audiência: conteúdo de qualidade e consistente. Aqui novamente, estamos falando de um jogo de longo prazo.

Não falo como exemplo nem como referência. Falo humildemente a partir daquilo que estamos construindo na ED, olhando sempre pra frente. Aos poucos, estamos colhendo os resultados.

Mais uma vez, parafraseando o Sr. Gates: “conteúdo é rei”!

Lição do dia: Se você quer se posicionar como referência em sua indústria, compartilhe sua sabedoria com as pessoas que julga importantes. Inclusive, não se trata necessariamente de clientes (imaginar isso é um erro super comum).

Meus irmãos são franqueados de um importante banco no país, e pelo que sei, são uma clara fonte de autoridade perante os demais franqueados no país. Isto vem de resultados, claro, mas vem também da predisposição genuína em compartilhar.

Outra lição: percepção de autoridade é poder. É sempre bem vinda.
Ainda usando meus irmãos como exemplo, não tenha dúvidas que ser percebido enquanto autoridade os ajuda a acessar as melhores oportunidades, em primeira mão.

Assim, com tudo isso dito, minha fontes de inspiração para buscar novos conteúdos, diariamente, com qualidade e de forma consistente:
 

  1. O mais clássico: leitura de bons livros viram conteúdo de valor;
  2. Minhas experiências viram conteúdo de valor;
  3. Minha rotina vira conteúdo de valor;
  4. Cases dos meus alunos e clientes viram conteúdos de valor;
  5. As movimentações dos meus concorrentes viram conteúdos de valor...


Você já tem muito a compartilhar. Está embaixo do seu nariz.

Compartilhe. 
Sua autoridade agradece.

Abraços,
Arthur Lemos

__________

Você quer receber a Carta do Fundador Diretamente em seu e-mail?

Clique AQUI e inscreva-se!